Ter filhos após os 35 anos aumenta as chances de ter neoplasia de ovários

É uma neoplasia que pode se apresentar com diferentes características histopatológicas, o que faz com que o tratamento varie de acordo com o tipo de tumor. O câncer epitelial de ovário é responsável por 90% de todos os casos da doença, sendo a quinta principal causa de óbito entre as mulheres com mais de sessenta anos de idade. No entanto não é raro encontrar esta doença em mulheres mais jovens.

Os principais fatores de risco para o desenvolvimento dessa neoplasia são a ausência de gestação ou gestação após os 35 anos de idade, história familiar de neoplasia de ovário e ou mama, com dois ou mais parentes de primeiro grau associado a alteração dos genes BRCA1 e BRCA2, além de síndrome de Lynch II que consiste na alteração dos genes MLH1, MSH2, MHH6 ou PMS2.

Trata-se de uma neoplasia com índice de cura abaixo de 40% por apresentar poucos e inespecíficos sintomas, quando não ocorre um diagnóstico precoce. Para que isto ocorra é necessário o acompanhamento regular feito pelo médico ginecologista. Pois é ele quem solicita nas consultas periódicas da mulher, exames como Ultra sonografia, que pode apontar alterações dos ovários. Tais alterações devem ser investigadas e tratadas por um cirurgião oncológico. Estudos atuais não apontam para métodos diagnósticos de rastreamento confiáveis, portanto a visita regular das mulheres ao ginecologista é extremamente necessária.

O diagnóstico exige exame físico, laboratorial, radiológico e histopatológico. A cirurgia videolaparoscópica assumiu importante papel no diagnóstico, uma vez que não é mais necessário a realização de grandes incisões para biópsia do ovário ou de lesões com aspecto metastático.

O tratamento ideal das lesões neoplásicas de ovário de origem epitelial, consiste em um procedimento cirúrgico amplo, que deve sempre ser realizado por um cirurgião oncológico capacitado, associado a tratamento quimioterápico no pós-operatório.

Manaus, hoje, dispões de centros médicos que contam com profissionais habilitados (cirurgiões Oncológicos e Oncologistas clínicos) para o tratamento e acompanhamento adequado dessa patologia. Alcançando desta forma resultados terapêuticos comparáveis a qualquer local do mundo.

Encontre:

Dr.Thiago Guimarães Mattos de Souza

Cirurgião Geral / Oncológico

Hospital Santa Júlia

Tel: (92) 8151-9234

Artigos Relacionados