O futurismo abre os desfiles desta terça-feira

A descoberta do exoplaneta GJ 504b, o planeta rosa, inspirou sobremaneira o artista que abriu os desfiles do terceiro dia de SPFW 2016. O desconhecimento do grande universo que nos circunda foi o tema da nova coleção de Vitorino Campos, apresentada na Casa Jaguar, nos Jardins de São Paulo. Com um toque futurista e bastante espacial, ele inflou mangas de casacos em couro com glitter prensado, fazendo alusão a falta de gravidade e trazendo bastante fluidez às suas peças.

Todo esse futurismo também pegou carona com o filme de Christopher Nolan, Interstellar (2014), o que transformou vários shapes das peças de Vitorino em verdadeiros uniformes espaciais fashion. Recortes, bolsos, mangas, tudo isso deu um toque especial para esta nova coleção, sem contar as mais de 18 mil pedras de cristal Swarovski utilizadas pelo estilista, fazendo alusão ao brilho magnífico das estrelas.

Nos pés o tênis branco veio mesmo pra ficar. Quem achava que seria algo ultrapassado para esta estação se enganou. Os branquinhos vieram com tudo e resultaram em produções super cool e elegantes na medida certa.

Os jeans vieram com lavagem escura e modelagem bastante ampla. Já os acessórios foram um dos pontos altos da coleção. Bolsas rosa quartzo compuseram as costas das modelos, sendo presas nos sutiãs, uma verdadeira mochilinha de exploradora espacial

Para as criticas Vitorino diz que erros podem muitas vezes na verdade ser acertos. “Trabalhei com processo inverso de construção. Os detalhes que parecem grandes erros, são, para mim, grandes acertos”, finaliza o estilista.

Artigos Relacionados