VINTAGE CULTURE É O DJ Nº1 EM HOUSE MUSIC NO TOP 100 DJS DA REVISTA DJ MAG

Além de ganhar o prêmio especial sobre a categoria de seu estilo, o DJ brasileiro subiu quatro posições e está no 11º lugar no ranking geral da revista britânica

São Paulo, outubro de 2022 – Vivendo um ótimo momento em sua carreira, o artista, empresário e produtor Vintage Culture acaba de ser premiado como o DJ número um de House Music, segundo a votação anual da revista britânica DJ Mag — considerada uma das principais do setor. O artista também subiu quatro posições no ranking geral, por ter sido o 11º mais votado de toda a enquete.

Para ele, cuja formação musical aconteceu com dificuldades no início da carreira, o sentimento de alegria transborda as pick-ups utilizadas para controlar o som levado a milhares de pessoas. “Não tenho palavras para descrever o quão feliz estou de receber esse prêmio. Eu venho trabalhando muito pra isso. E não posso me esquecer dos meus fãs, do meu time, da minha família e de todas as pessoas que fizeram isso acontecer!“, celebra Vintage Culture.

Além de manter residência em Ibiza e tocar em inúmeros festivais e festas, Vintage Culture, que nasceu em um pequeno município localizado na fronteira entre o Brasil e o Paraguai, encontrou tempo para evoluir seu som este ano e promete muitas surpresas para 2023, incluindo colaborações com lendas da música que o inspiraram e artistas talentosos em ascensão.

Fã declarado de grandes nomes da cena eletrônica como Dimitri Vegas, Like Mike, David Guetta e Tiësto, o criador dos hit Eyes (2015), Hollywood (2016)Feeling Good (2017)Cante Por Nós (2018), I Will Find(2018) e Paradise (2021), tem em seu portfólio também sucessos feitos em parceria com músicos de destaque, em remix de músicas como Céu Azul (Charlie Brown Jr. em 2017) e Slow Down (Jorja Smith em 2020).

A pesquisa deste ano contou com mais de 1,3 milhão de votos vindos de 243 países. Merecem ser citadas as pequenas nações e os territórios espalhados pelo mundo que enviaram votos, como São Cristóvão e Nevis, Djibuti, Micronésia, Ilha de Man, Palau, Ilhas Malvinas, Ilhas Marshall, Nauru, Tuvalu, Montserrat e até mesmo da Cidade do Vaticano, que demonstram um alcance verdadeiramente global dos DJs citados.

Artigos Relacionados