E AGORA… QUE ALERGIA É ESSA?

ESTIMA-SE QUE METADE DOS BRASILEIROS TERÃO ALERGIA ATÉ 2050

 

Você sempre fez uso do mesmo medicamento, ou sempre gostou de comer frutos do mar aos finais de semana, e nunca teve problemas com isso. De repente, o alimento predileto se torna um vilão, ou aquele medicamento de uso habitual começa a lhe fazer mal… Pois bem… É a famosa ALERGIA. Muitos acreditam que alergia é coisa de criança, porém em alguns casos, surge apenas na idade adulta.

A Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia aponta que 30% dos brasileiros sofrem com algum tipo de alergia, das quais a rinite é a mais comum. Há uma década, eram 20%. Em 2050, segundo previsão da Organização Mundial de Saúde, metade dos brasileiros sofrerá com o mal que, em alguns casos, pode levar à morte.

 

Os vilões…

Entre os medicamentos, os que mais causam reações são os analgésicos, anti-inflamatórios, antibióticos e contrastes para procedimentos radiológicos. Até o látex das luvas de borracha pode causar reações alérgicas.

As reações alérgicas respiratórias, que incluem sinusite, asma, conjuntivite e rinite alérgica; se caracterizam por crises de tosse, cansaço, chiado no peito, falta de ar, coriza, espirros, coceira no nariz e olhos, dor na face e obstrução nasal que simulam uma gripe.

 

Como diagnosticar…

As doenças alérgicas podem ser diagnosticadas através de exames de pele, chamados: Teste cutâneo de leitura imediata (“Prick Test”) e Teste de contato (“Patch Test”). Exames estes, muito simples e realizados no próprio consultório de médico especialista em Alergia e Imunologia. Prever alergias não é possível, porém a hereditariedade é de suma importância no diagnóstico. Quando os dois genitores tem alergia, a probabilidade da criança também ter alergia é de 80%.

 

Imunoterapia ou Vacina para alergia…

A imunoterapia com alérgenos, também chamada de vacina para alergia, é uma forma de tratamento utilizada há mais de 50 anos com o objetivo de diminuir a sensibilidade de pessoas que se tornaram alérgicas a determinadas substâncias. O tratamento consiste na aplicação de alérgeno ao qual o paciente é sensível em doses crescentes por um período de tempo que é variável.

As vacinas alergênicas têm excelentes resultados, reduzindo a frequência da intensidade das crises e a necessidade do uso frequente de medicamentos. Estima-se uma melhora de 80% dos sintomas nas alergias respiratórias.

Encontre

Dra. Nádia Betti

Alergista e Imunologista (CRM/AM 6050)

Centro de Alergia do Amazonas – CAIAM. Av. Djalma Batista. Edifício Atlantic Tower. Sala 106. Torre médica.

Tel.: (92) 3342.6819/(92) 99360.7813

Artigos Relacionados