Foto: Maria Grazia Chiuri

Dior apresenta coleção de inverno 2020/2021 de alta-costura

Maria Grazia Chiuri trouxe de volta o Théâtre de la Mode

 

A Dior lançou sua coleção de Alta-Costura Outono Inverno 2020-2021. Devido à pandemia do coronavírus, os desfiles foram todos cancelados, então as marcas tiveram que se reinventar no formato de divulgação das suas coleções.

Para o lançamento, a Dior produziu um fashion film, entitulado Le Mythe Dior, dirigido por Matteo Garrone, cineasta italiano conhecido por seu trabalho Tales of Tales. A ideia foi trazer o universo mágico da mitologia, para a arte da Alta-Costura.

 

Cena do filme – Foto: Divulgação

Em tempos de pandemia, Maria Grazia Chiuri trouxe à tona uma prática do pós-Segunda Guerra Mundial, quando a oferta de tecidos era escassa e a procura por alta-costura quase não existia. Inspirada na Théâtre de la Mode, uma exposição itinerante com looks em miniatura de costureiros franceses que viaja entre a Europa e a América, a grife francesa apresentou sua coleção couture inverno 2020/2021, na manhã desta segunda-feira, num filme dirigido pelo cineasta italiano Matteo Garrone. O ponto de partida é a obra de artistas mulheres do movimento surrealista.

 

Dior inverno 2020/2021 – Foto: Divulgação

“As mulheres surrealistas são menos conhecidas do que os homens e muitas vezes são vistas como suas musas ao invés de como as talentosas artistas que foram. Elas eram muito modernas, muito pouco convencionais para o tempo em que vivam”, disse Maria Grazia à “Vogue” internacional. As artistas Leonora Carrington e Jacqueline Lamba e as fotógrafas Lee Miller e Dora Maar são as referências. “Fiz 37 designs em manequins de tamanhos reduzidos, que serão apresentados em um trunk-show que vai viajar o mundo para chegar até as nossas clientes de alta-costura.”

 

Dior inverno 2020/2021 – Foto: Divulgação

No filme de Garrone, o clima é onírico, com ninfas, sereias e uma floreta encantada. Nesse mundo de faz de conta, dois mensageiros embarcam numa espécie de turne com um baú que reproduz o prédio da Dior no número 30 da Avenue Montaigne, em Paris. Para cada mulher que encontram, há um look de sonho, com plissados, drapeados e muito movimento. Cinza, dourado e preto surgem com destaque na cartela de cores. A tradicional alfaiataria da maison também tem lugar nesse univerno fabuloso e cinematográfico.

 

Dior inverno 2020/2021 – Foto: Divulgação

“Imagens surrealistas conseguem tornar visível o que é invisível. Estou interessada em mistério e mágica, que também são uma forma de exorcizar a incerteza sobre o futuro”, explicou Maria Grazia em comunicado oficial.

 

A coleção

Cinco mulheres, artistas surrealistas, estão no centro das inspirações da Coleção de Alta-Costura Outono-Inverno 2020-2021: Lee Miller, Dorothea Tanning, Leonora Carrington, Dora Maar e Jacqueline Lamba.

 

O filme

Matteo Garrone assina um filme exclusivo para a Dior, revelando a Coleção de Alta-Costura Outono-Inverno 2020-2021 de Maria Grazia Chiuri. Um universo fascinante, poeticamente fantástico, que reinventa o sonho Dior.

 

Dior inverno 2020/2021 – Foto: Divulgação

“O conceito de filme, como trabalho de arte e plataforma artística, sempre me cativou. Muitas vezes, pensei em experimentá-lo no intuito de reproduzir a atmosfera única da alta-costura. O cinema é uma arte ao mesmo tempo criativa e artesanal, uma obra autoral e coletiva. É muito parecido com o savoir-faire da moda”, explica Maria Grazia Chiuri na apresentação de sua Coleção de Alta-Costura Outono-Inverno 2020-2021. Uma coleção que evoca muitas inspirações e explora novos horizontes. Uma história construída com inúmeros contos, paixões e curiosidades que alimentaram o espírito da Diretora Criativa das coleções femininas da Dior durante esse período em suspensão, que mal acabou, se é que realmente acabou.

 

Dior inverno 2020/2021 – Foto: Divulgação

Artesão criador de histórias e imagens, Matteo Garrone é um dos diretores mais famosos e aclamados da Itália, cujos filmes incluem Il Racconto dei racconti (O Conto dos Contos, 2015), Dogman (2018), Pinocchio (2019) e muitos outros. Nesta temporada, Maria Grazia Chiuri o convidou para ajudá-la a dar vida a uma coleção imaginariamente complexa. O cineasta aceitou, sem ideias preconcebidas, considerando-se acima de tudo um “pintor figurativo”: “Daí minha obsessão com o corpo”, diz ele, “meus filmes são impregnados com o carnal, o erótico, o desejo e a luz”. A moda também está conectada ao corpo e abrange a noção de desejo.

 

Assista o filme:

 

O Savoir-Faire

Neste período singular ainda marcado pelo confinamento, Maria Grazia Chiuri projetou suas criações de alta-costura Outono-Inverno 2020-2021 com inspiração no Théâtre de la mode. Esse evento único, iniciado em 1945, ao final da Segunda Guerra Mundial, buscava destacar a alta-costura francesa no mundo, numa época em que a indústria têxtil, a logística do transporte e a apresentação das coleções estavam totalmente abaladas. Ele trazia a elegância como uma questão de emoção e de sonho, um símbolo eterno de poesia e joie de vivre. Perpetuando essa reinvenção com uma grande energia criativa, a Diretora Artística das coleções femininas da Dior projetou trinta e sete silhuetas de alta-costura em miniatura, demonstrando a quintessência da excelência dos Ateliês Dior.

 

Tradição

Uma importante inspiração, foi o Teatro da Moda, que existiu na França na época da II Guerra Mundial. Originalmente concebido como um espetáculo itinerante para viajar entre Paris, Londres e Estados Unidos, o objetivo do Théâtre de la mode era difundir o savoir-faire da alta-costura francesa durante o pós-guerra, numa época em que a indústria não tinha outra escolha senão reinventar-se para manter seu fascínio.

O Teatro da Moda. Paris, Palais du Louvre, maio de 1945

Você percebeu como é lindo e inspirador o universo da Alta-Costura?

Espero que tenha gostado do conteúdo.

John Britto.

Artigos Relacionados