Manaus sedia Conferência Internacional de Turismo Sustentável na Amazônia
7 alimentos para tunar a imunidade das crianças nos dias frios
Como surgiu a tradição dos biscoitos da sorte?
Cinco dias de festa por Manaus e Rios da Amazônia
BUTECO DO GUSTTAVO LIMA É SUCESSO DE VENDAS
Como preparar o filho pequeno para trocar de escolinha?
Track&Field destaca destino brasileiro em sua campanha de Inverno 2020
10 tendências em looks para o fim de ano (quando e como usá-las)
Jardim Japonês – Caldas Novas em Goiás
previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

Turismo rural é a “pedida da vez”em Mato Grosso

By  |  0 Comentários
Compartilhe nas Redes Sociais

Entre rios de águas tão límpidas que é possível distinguir cada um dos peixes que ali vivem, corredeiras que desabam de alturas de 86 m, grutas e a exuberância e riqueza quase infinita da Floresta Amazônica, o Estado pode orgulhar-se de possuir recursos naturais que dão inveja a países inteiros de outras partes do mundo.  

A mescla de bucólico e urbano, cheiro de terra em alguns locais, barulho de máquinas e brilho de luzes em outros, pode ser encontrada de Norte a Sul no Estado, bem como o canto das aves e um rio tão volumoso que se confunde com o mar. Todo esse potencial, condensado numa única vertente dos negócios que, se feitos de maneira sustentável, não apenas do ponto de vista ambiental mas também social, pode trazer benefícios duradouros à sociedade: o turismo rural. 

Dados do Instituto de Desenvolvimento do Turismo Rural (Idestur) apontam que essa forma de explorar a natureza, cidades e vilarejos que ainda sofreram pouca influência do desenvolvimento urbano das metrópoles, surgiu na década de 1950 em muitos países do Centro e do Norte da Europa. A partir dos anos 1980, essa vertente do entretenimento chegou à América do Sul, em países como Brasil, Argentina e Uruguai . 

Porém, o que pode ser considerado como turismo rural? Ainda de acordo com o Idestur, são as atividades recreacionais que utilizam como elemento vital os recursos culturais do território rural, levando viagens ao universo ambiental, artístico, histórico e vivencial, como a roda de viola, cavalgadas e que, ao mesmo tempo, permitem a integração com o cotidiano da roça, com princípios fundamentais como a valorização territorial, a preservação das raízes rurais, a harmonia e a sustentabilidade ambiental e a identidade e o envolvimento da comunidade local. 

Como potência do agronegócio, Mato Grosso pode se beneficiar desse tipo de atividade, tendo em vista que o turismo impacta sobre o tipo de agricultura, de alimentos específicos a se produzir e a escala de comercialização a se alcançar, de acordo com o “Boletim de Oportunidades de Negócios”, publicação do Serviço Brasileiro de Apoio as Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), de 2012.  

Poconé e Cáceres, respectivamente a 102 km e 222 km da Capital, já possuem alguns hotéis que oferecem, além da estadia, serviços que contemplem a lida no campo, como manejo de gado, produção de derivados de leite, ordenha e outras atividades. Outras cidades, localizadas no Norte e na região do Araguaia, também possuem atrativos que podem seduzir turistas que estejam interessados em conhecer a cultura e a tradição do povo mato-grossense.

Fonte: http://circuitomt.com.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
1
Olá!
Bem Vindo a Revista Digital mais querida da Amazônia!
Powered by