Pote das Emoções: Como ajudar no desenvolvimento infantil?

Certamente você já ouviu falar do famoso Pote das Emoções. Inspirado no Método Montessori, ele tem feito muito sucesso nas redes sociais e ajudado muitas crianças a entender melhor suas emoções. E, como consequência, tem auxiliado os pais a ter uma visão mais clara do que se passa com os sentimentos dos seus pequenos.

Se para nós, adultos, às vezes é difícil entender e nomear nossas emoções, imagina para os pequenos, que as sentem pelas primeiras vezes na vida? Saber nomear e entender cada uma delas é importante para os pequenos, porque os ajuda a desenvolver autoconhecimento e autocontrole, habilidades essenciais para os dias de hoje.

Então, como falar de algo tão subjetivo como os sentimentos? Não é simplesmente uma operação matemática que se escreve numa folha e se resolve. Cada pessoa sente de formas e intensidades diferentes e, muitas vezes, mais de uma emoção ao mesmo tempo. Por exemplo, é comum sentir medo e ansiedade simultaneamente, até alegria e tristeza – como quando alguém que amamos e estava doente se vai, embora ficamos tristes pela perda, existe o acalanto de alguém querido não sofrer mais. 

É sempre muito importante o diálogo entre você e seu pequeno. Perguntar como ele se sentiu a cada situação, explicar o que e como são chamados esses sentimentos e, claro, que eles podem acontecer ao mesmo tempo.

O Método Montessori

Promoção da liberdade e da autonomia, autodisciplina, estímulo às capacidades sensoriais, ambientes adaptados e acessíveis e respeito a si mesmo e aos outros. Essas são algumas características do Método Montessori, que vai da pedagogia à arquitetura, em busca de explorar e desenvolver todo o potencial dos pequenos e pequenas. Idealizado e difundido em 1907, pela médica italiana Maria Montessori, o método acredita que os pequenos já nascem com um potencial extraordinário e, cabe ao adulto preparado identificar e respeitar o momento da criança, auxiliando com amor e compreensão para que ela desenvolva plenamente suas habilidades.

Afinal, como fazer o tão falado Pote das Emoções?

Foto:diadonarizvermelho

Você vai precisar de:

  • 5 ou mais potes transparentes: podem ser de vidro, cristal ou plástico, reciclados ou não, o importante é enxergar o conteúdo interno;
  • O Pote das Emoções originalmente é preenchido com lã, mas você pode usar qualquer outro tipo de material de 5 (ou mais) cores diferentes que possa ser medido: como bolinhas, papel, líquidos de mesma quantidade (medindo sempre na mesma tampinha, por exemplo);
  • Etiquetas com os nomes das emoções que vocês optaram por trabalhar.

Para começar, converse com seu pequeno e o ajude a entender e nomear as emoções. Se precisar, a literatura pode te ajudar com isso! Existem vários livros no mercado que abordam este tema auxiliando os pequenos. Depois, vocês nomearão os potes: alegria, tristeza, raiva, medo, calma. Estes são os básicos, mas você pode adaptar outros sentimentos se achar necessário, como: amor, ansiedade, frustração, vergonha, etc. Nomeados os potes, junto ao seu pequeno, associem as cores aos nomes: alegria-amarelo, tristeza-azul, raiva-vermelho, medo-cinza, calma-verde. Se achar melhor, use etiquetas das cores de cada potinho. Pronto, agora é só deixá-los em um lugar visível. Ao final de cada dia, peça ao seu pequeno que relate os principais acontecimentos e como ele se sentiu nestes momentos, colocando a lã, bolinha, ou papelzinho (o que vocês optaram por usar para preencher) em cada potinho, de acordo com a quantidade de vezes que aconteceram. 

Depois de um mês trabalhando o Pote das Emoções, seu pequeno estará muito mais familiarizado com elas e você terá uma perspectiva geral de como anda a vida emocional do seu filho. Assim, é mais fácil encontrar pontos de atenção e, talvez, até procurar um psicólogo se achar necessário.

E você, já fez seu Pote das Emoções ou algo parecido em casa? Conta aqui pra gente!

Foto destaque lunetas.com

Fonte: https://leiturinha.com.br/

Artigos Relacionados