Obesidade nunca mais!

A busca por um corpo em forma tem sido cada vez mais frequente nos dias de hoje, porém não só a estética deve ser levada em consideração quando falamos em obesidade. Maus hábitos alimentares, sedentarismo e alguns outros fatores contribuem diretamente no aumento da estatística das cirurgias bariátricas. Mas todo um acompanhamento é necessário quando o assunto é cirurgia não é mesmo? Por falta de informação e até mesmo medo de tentar muitas pessoas não recorrem aos profissionais especializados neste tratamento. Foi pensando nisso que alguns profissionais extremamente qualificados se reuniram para criar o STO, Serviço de Tratamento da Obesidade. A frente deste brilhante projeto estão: Dr. Fábio de Oliveira Rodrigues, formado em Medicina pela UFAM e especializado em Cirurgia geral e do aparelho digestivo. Pós-graduado em Cirurgia Laparoscópica pela Universidade Anhanguera de Brasília. Dra. Patricia Rosany Sales Santiago, formada pela UEA e pós-graduanda em Nutrologia pela Associação Brasileira de Nutrologia em São Paulo. E Dra. Aretuza Cortez Izel, psicóloga desde 2002, gestalt-terapeuta e terapeuta de casal e família pelo Centro de Gestalt-Terapia do Rio de Janeiro, pós-graduanda em Neuropsicologia pela USP e Terapia Cognitiva Comportamental. Tantos currículos de qualidade fazem hoje do STO um sinônimo de sucesso. Confira como funciona este sistema:

Como exatamente funciona o STO?

O Serviço de Tratamento da  Obesidade  é  um Serviço oferecido em parceria com o Hospital Santa Júlia, que possui equipamentos e instrumentos da mais alta tecnologia. Ele oferece aos seus pacientes um tratamento clínico e/ou cirúrgico personalizado, tendo como maior diferencial o agendamento de exames e avaliações pré-operatórias pela própria equipe dentro do complexo hospitalar. Assim são realizados todos os exames em um único dia, diminuindo assim o tempo de preparo para o procedimento, sem perder a qualidade na prestação do serviço.

Quais são os primeiros sinais que indicam que aquela “gordurinha” a mais já precisa de um tratamento médico?

O método mais prático de avaliação de obesidade é através do Índice de Massa Corporal (IMC), onde se calcula o peso em quilogramas dividido pela altura ao quadrado. O IMC é uma medida adotada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). É o padrão internacional para avaliar o grau de obesidade.

Estes graus são classificados em:

IMC 18,6 a 24,9 – normal

25 a 29,9 – sobrepeso

30 a 34,9 – obesidade grau 1

35 a 39,9 – obesidade grau 2

>40 – obesidade grau 3

Para que uma pessoa possa ser considerada obesa e possível candidata à cirurgia bariátrica, é necessário que seu índice de massa corporal (IMC) seja maior do que 40 kg/m2, ou esteja acima de 35 kg/m2 com comorbidades associadas à obesidade (diabete tipo II, apneia do sono, hipertensão arterial, dislipidemia, doença coronariana, osteoartrites e outras). Além disso, é necessário ter havido tratamento clínico prévio insatisfatório por pelo menos dois anos.

Atualmente quais são as principais causas da obesidade?

Ela é uma doença crônica, de origem endócrino-metabólica e heterogênea com componente genético preponderante. Instala-se só na presença de fatores circunstanciais como ao alto consumo de alimentos hipercalóricos, hiperlipídicos e sedentarismo. Por ser multifatorial, sua prevenção e tratamento são laboriosos.

Além dos problemas de saúde, a obesidade também afeta a parte psicossocial do paciente? Existe também esse acompanhamento por parte dos seus profissionais?

Muitos desses pacientes apresentam sintomas como depressão e ansiedade relacionados ou não a distorção da autoimagem, compulsão alimentar, autoestima rebaixada, sentimento de culpa, podendo ser considerados indicativos para a busca de avaliação e tratamento médico e psicológico. É muito frequente as pessoas comerem em demasia quando elas estão ansiosas. Dependendo do tipo de alimento que é ingerido, existe uma baixa na ansiedade. Um exemplo muito comum é o chocolate, que quando ingerido, libera endorfina no cérebro e isso traz uma sensação de bem estar, de calma. Por isso é importante que o médico fique atento com a ansiedade desse paciente para avaliar a necessidade do uso ou não de medicação e acompanhamento conjunto com psicólogo, pois esse é um dos principais motivos que leva a pessoa ansiosa a engordar. Além disso, também existe a liberação do hormônio do estresse que é o Cortisol. Ele também contribuirá para o aumento de apetite, acúmulo de gordura e perda de massa muscular.  A ansiedade realmente é a grande vilã para emagrecer, mas existe sim tratamento. A dificuldade em sentar-se em qualquer cadeira, passar por catracas, entrar numa loja de roupas e situações onde aparecem limitações, também os afetam emocionalmente. O sentimento de ser obrigado a emagrecer se faz presente diante de tamanho sofrimento e acaba por sobrepor-se à necessidade de melhorar a saúde. Por isso se faz tão necessário que haja uma avaliação psicológica antes da cirurgia bariátrica.

Quais outros profissionais trabalham juntos no STO?

Além de cirurgiões habilitados, experientes e de extrema competência, o STO é formado por nutrólogo, endocrinologista, pneumologista, cardiologista, psicóloga, nutricionista, fisioterapeuta, fonoaudióloga, preparador físico, entre outros profissionais. Acreditamos que com o trabalho multiprofissional, os nossos pacientes serão mais bem assistidos e a avaliação clínica mais completa.

Encontre:

Hospital Santa Júlia – Av. Boulevard Álvaro Maio, 2º Andar, sala 20 e 21. (92)99500-7567

Vitalitty – Av. Djalma Batista, Ed. Atlantic Tower, 4º Andar, sala 403, Torre Médica.

(92) 98160-8166

Clínica de Psicologia do Amazonas – Av. Efigênio Sales, 2240, Cond. Boulevard Mundi Resort, 2º Andar, sala 213A, Aleixo

Fones:(92) 99332-0274 / 98239-4787

Artigos Relacionados

Lynton Oliveira