New Balance dá mais um passo para se aproximar das novas gerações
Não se exercitar pode ser tão ruim quanto fumar, diz pesquisador
Por que jogar ‘Fortnite’ é bom (ou não tão ruim) para o seu filho
Tudo sobre o Juma Amazon Lodge
Como combinar cores de roupas: 4 dicas simples e certeiras
Florença é a capital da moda masculina
Você sabe a diferença entre brinquedos educativos e pedagógicos?
Pousada Recanto dos Pássaros, conforto e tranquilidade em Presidente Figueiredo
OS BENEFÍCIOS DO GOSTO PELOS GIBIS, HQ’S E DESENHOS
looks com pochete e belt bag para você se jogar na tendência
Teatro Móvel quer inspirar crianças a trabalhar com tecnologia
previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

O QUE É TERROR NOTURNO?

By  |  0 Comentários
Compartilhe nas Redes Sociais

Esse é um assunto que gera muitas dúvidas e noites mal dormidas também, afinal o que é terror noturno e como tratar? É claro que, em meio a uma crise de terror noturno, seu primeiro instinto será de tentar acalmar seu filho. Mas será que isso é o correto a fazer?

É importante falarmos desse assunto, pois ele gera a falta de sono saudável para a criança e para os pais. E ninguém consegue viver bem se está tendo problemas de sono. Quem explica tudo sobre o que é terror noturno é a nossa colunista Marcia Horbacio, especialista em sono materno-infantil. Confira!

O QUE É TERROR NOTURNO

Hoje vamos falar de terror noturno, mamães! Esse é um distúrbio de sono que assusta mais os pais do que as crianças. Então vamos esclarecer para que vocês  mantenham a calma, e saibam o que fazer na hora que seus filhos enfrentarem um.

Na minha prática de educadora do sono, vejo muitas vezes os pais se equivocarem pensando que a criança que chora demais a noite tem terror noturno. Mas terror noturno não é muito difícil de identificar porque a criança está num estágio entre um ciclo e outro do sono. E por estar ainda em sono profundo, ela não percebe nada ao redor. Então se pergunte: “Quando ele acordou aos prantos, ele podia me ver, interagia comigo e até conseguia se acalmar quando eu cheguei no quarto para consolá-lo?” Se a resposta é sim a pelo menos uma dessas perguntas, há uma chance boa de que não seja terror noturno.

Terrores noturnos são parecidos com os pesadelos porque a criança acorda geralmente chorando muito, parecendo estar com muito medo, e não consegue perceber que os pais estão perto para confortá-la. Há, no entanto, uma grande diferença entre pesadelo e o terror noturno: os pesadelos, como os sonhos bons, acontecem durante o sono REM, no fim do ciclo, depois do sono profundo. E o terror noturno acontece durante o sono profundo, ou NON-REM.

VEJA TAMBÉM: AS 7 MELHORES DICAS PARA LIDAR COM AS REGRESSÕES DE SONO

Percebemos que nos pesadelos a criança percebe os pais, muitas vezes aceita o conforto que eles lhe dão, e acaba se acalmando e voltando a dormir. No terror noturno, como está em sono profundo, ela não percebe que eles estão a seu lado e não se acalma facilmente. Os episódios de terror noturno tendem a acontecer no começo da noite, enquanto os pesadelos são mais comuns no final.

Não se tem comprovação científica ainda da causa do terror noturno. Embora alguns especialistas suspeitem que os episódios acontecem por causa da imaturidade do sistema nervoso central. Sabe-se no entanto que ir dormir cansada demais pode intensificar os episódios da criança. Portanto, os conselhos são para ter um ritual de sono relaxante, colocar a criança na cama cedo, permitir que ela durma as horas de sono que são necessárias para a idade e evitar, obviamente, filmes ou desenhos que façam a criança ficar mais amedrontada ou assustada. Os episódios geralmente passam sem que os pais possam fazer nada. Alguns levam uns 5 minutos, e a criança simplesmente volta a dormir.

Adultos também podem ter terror noturno, mas é muito mais comum em crianças. Entre 1-6% de crianças de 3-12 anos apresentam o transtorno,  e eles geralmente se resolvem na adolescência. Crianças na faixa etária dos 18 meses também pode manifestar o transtorno. É incomum em bebês mais novos.

Há uma confusão entre as informações, e algumas pessoas dizem que não se deve acordar a criança de um episódio, e outras dizem que deve-se se acordar a criança para o “susto passar”. Espero esclarecer isso melhor aqui: você deve deixar o episódio passar sozinho, mas no caso dele acontecer sempre nas mesmas horas todas as noites, como fica fácil prever em que momento ele vai acontecer, pode valer a pena mexer um pouco com a criança para ver se ela sai do sono profundo e acaba não tendo o episódio. Então, como tudo no sono das crianças, um conselho não dever servir para todos.

Espero que essas informações ajudem vocês mamães!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.