O Belissímo Igarapé Cristalino de Jamaraquá

Compartilhe nas Redes Sociais
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Vocês já conhecem Jamaraquá? O igarapé de água cristalina fica localizado na Floresta Nacional do Tapajós, em Belterra (PA). O lugar é um pequeno oásis no meio da densa floresta amazônica ainda preservada. Conhecido pelos moradores da região, ganhou fama através das redes sociais no final de 2015, quando turistas começaram a ser mais frequentes na área de preservação.

Foto: via outrasterras

De Santarém (PA) até a comunidade de Jamaraquá são 70,9 km, seguindo pela BR-163 e virando à direita na Estrada Sete, em Belterra (PA). Este primeiro trecho é asfaltado e com sinalização. É preciso dobrar à esquerda no Ramal da Revolta (existe uma placa que identifica o destino) que a partir daí segue em estrada de chão. Ao chegar no pequeno vilarejo siga mais 3 km na mesma estrada e ao avistar uma ponte de madeira estacione e caminhe até o igarapé.

Para quem quer contato com a natureza o lugar é perfeito. Uma sintonia com direito a pequenos peixes nadando ao seu redor e uma beleza típica da paisagem da região. Leve frutas, como melancia, abacaxi, banana, laranja ou maçã e faça um piquenique nas margens do igarapé. O melhor ângulo das fotos é tirado de cima da ponte, onde se tem uma visão ampla do lugar. O melhor período para este passeio é de setembro a dezembro quando as águas dos rios estão mais baixas (o verão amazônico).

Se quiser uma aventura, existe a Trilha de Jamaraquá. Consulte um dos guias locais na comunidade! São mais de 9km floresta adentro, com direito a tradicional foto na imensa Samaúma, um dos pontos mais visitados por lá. 

Foto: via aos4ventos

Bateu fome? Experimente as iguarias preparadas pelos moradores, existem restaurantes nativos servindo aquela comida caseira com gosto da cozinha das nossas avós.

Foto: via outrasterras

E o artesanato tem ótimos preços, traga uma lembrancinha!

Foto:via outrasterras

Existem empresas que fazem este mesmo passeio navegando pelo Rio Tapajós, de barco ou lancha. Consulte o Centro de Informações ao Turista!

Como o lugar é uma área de preservação é preciso ficar atento às observações e regras. Separei algumas para facilitar a visita:

– Ao entrar na unidade dirija-se às bases e identifique-se, leia o Termo de Conhecimento de Risco e em seguida assine a folha de controle;
– Respeitar as regras e costumes das comunidades;
– É proibido captura, coleta, pesca e transporte de material biológico da unidade, exceto com prévia autorização do órgão gestor;
– Utilize apenas trilhas autorizadas com guias comunitários. Procure o responsável pela visita;
– A velocidade permitida para os veículos nas vias de acesso é de 40 Km/h;
– Não é permitida a circulação e estacionamento de veículos nas praias e próximo a igarapés;
– Não é permitido que sejam acesas fogueiras próximo aos igarapés e praias;
– Não é permitido a utilização de som em alto volume para evitar perturbação da fauna e dos moradores;
– Não deixe lixo nas praias e igarapés;
– Não é permitido a montagem de barracas próximas aos igarapés.
Informamos que será permitida a permanência de no máximo 30 pessoas por vez no igarapé, por fim, alertamos que o não cumprimento das recomendações acarretará as sanções legais cabíveis.

Fonte: https://diariodofb.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Open chat
1
Olá!
Bem Vindo a Revista Digital mais querida da Amazônia!
Powered by