Drª Leidiana Rêgo

Dor Orofacial – Por Drª Leidiana Rêgo

Quando se fala em dor orofacial, a primeira lembrança que nos ocorre é a dor de dente, dor às vezes lancinante, difícil de suportar. Não faz tanto tempo assim, a única solução para diminuir tamanho sofrimento era extrair o dente comprometido, por isso, raríssimas pessoas chegavam à maturidade sem usar dentadura. Diagnosticar  requer cuidado e experiência profissional e  nem sempre é fácil distinguir a dor de dente das neuralgias, mas é possível, e esse será  um bom caminho para evitar extrações e padecimento desnecessários.

O QUE SE ENTENDE POR DOR OROFACIAL?

Chamamos de dor orofacial a que provém dos dentes, da boca e dos maxilares. Sem dúvida, a mais frequente delas é a dor de dente.

QUAL É A EXPLIACAÇÃO PARA OS DENTES PROVOCAREM DORES TÃO INTENSAS

Embora a estrutura do dente seja pequena, é anatômica e complexa,  possuindo uma caixa externa dura, semelhante ao osso, constituída pela dentina e pelo esmalte. Em seu interior, há um canal por onde passam só vasos e nervos, a inflamação dentro desse canal dificulta o extravasamento do edema e dos líquidos que ali se formam, criando uma pressão que produz dor muito forte.
O dente tem outra característica interessante. Toda sua enervação e vascularização entram pelo ápice da raiz, um orifício muito pequeno existente em sua extremidade inferior.

POR QUE O DENTE DÓI?   

A dor de dente acaba sendo desconcertante, porque ele é uma estrutura somática profunda que engloba tecido ósseo, tecido dentário, ligamento rígido e receptores que conduzem a enervação. Qualquer processo inflamatório que comprima esses receptores pode provocar dor sem que haja lesão no dente para justificá-la.

A evolução do processo inflamatório passa por várias fases, e caracteriza-se por dolorimento e por hiperemia, resultante de leve aumento do volume dentro do canal. Progressivamente, pode ocorrer uma lesão dos vasos chamada pulpite, ou seja, uma inflamação da polpa dentária reversível (regride com o uso de anti-inflamatórios) ou uma inflamação irreversível. Neste caso, abre-se o dente e remover o nervo.

QUANDO FAZER CANAL DO DENTE ?

O tratamento de canal de um dente inflamado, é feito quando a cárie atinge a polpa do dente, causando a morte da polpa.

No tratamento do canal, o endodontista( dentista especialista em canal) irá abrir o dente inflamado e retirar a polpa ( nervo) do dente que está morta ou praticamente morta, limpar o interior do dente e preencher o espaço vazio com um material especifico para que não haja entrada e proliferação de bactérias.

Antes de tratar o dente é preciso primeiro controlar a infecção para diminuir os riscos do tratamento  e também por que é mais difícil a anestesia fazer efeito se o dente estiver inflamado.

PROCURE SEU DENTISTA!

Existe muitos outros fatores que causam inflamação dos dentes ou tecidos orais. Quando sentimos dor é um sinal que o organismo nos dá, de que algo pode não estar certo, então quando isso ocorrer com seu dente corra para seu dentista de confiança e nada de medicação ou soluções caseiras pois isso pode não acabar bem.

 

 

 

Tirou todas as suas dúvidas sobre dente inflamado?

Artigos Relacionados