Disfunção Erétil: Dúvidas frequentes

A impotência sexual ou disfunção erétil é a incapacidade de obter ou manter ereção suficiente para uma relação sexual satisfatória. Cerca de 50% dos brasileiros acima dos 40 anos apresentam algum grau de disfunção erétil, o que corresponde a 25 milhões de homens. Quanto mais idoso o homem, maior a probabilidade de apresentar o problema, seja pela idade avançada ou pela maior prevalência de doenças nessa faixa etária que são fatores predisponentes ou que perpetuam o distúrbio da ereção. Muitas são as dúvidas que aparecem quando se trata de disfunção erétil e vou esclarecer as mais frequentes hoje.

Ter dificuldade de manter a ereção esporadicamente é considerado disfunção erétil?

Consideramos disfunção erétil quando a incapacidade de alcançar ou manter a ereção é recorrente. Falhar “na hora H” pode acontecer com qualquer homem e não significa que ele tenha impotência sexual. O urologista especialista no assunto sempre poderá orientá-lo sobre o que é normal e esperado e sobre o que pode ser considerado patológico.

Quais as causas da disfunção erétil?

A disfunção erétil pode ocorrer por causas psicológicas, como ansiedade, culpa e estresse; por causas orgânicas, como diabetes, doenças cardiovasculares e disfunções hormonais (como baixo nível de testosterona); por medicamentos e cirurgias, por isso o paciente sempre deve ser adequadamente investigado.

Quais os tratamentos disponíveis para disfunção erétil?

Cada caso deve ser avaliado pelo especialista para indicação da melhor terapia. Se a causa é psicogênica, deve-se recorrer à psicoterapia. Se a causa é orgânica, a primeira linha de tratamento são as medicações orais, a segunda linha de tratamento é a injeção intra-cavernosa e a terceira linha de tratamento é o implante de prótese peniana. Além disso, todo paciente deve ser orientado quanto à necessidade de mudanças nos hábitos de vida, já que os estudos mostraram que a cessação do tabagismo, a realização de atividade física e a redução do peso podem melhorar a disfunção erétil.

O implante de prótese peniana interfere no orgasmo, na ejaculação ou na fertilidade?

O implante de prótese peniana, que pode ser semirrígida ou inflável, é uma alternativa para casos graves de disfunção erétil, quando medicamentos e outras terapias não são bem-sucedidos. Se o paciente já tinha orgasmo e ejaculação antes da colocação da prótese, continuará a tê-los posteriormente. O implante também não interfere na fertilidade, se o paciente era fértil, continuará a ser após a cirurgia.

Encontre

Dr. Dimas Melão

Urologista da UROMED MANAUS

Contatos: (92) 3231-1532 / 3877-8279 / 99404-5285

Artigos Relacionados